Medicina Hiperbárica

Indicações

(UHMS Comitte Report, 2003 e CFM Resolução 1457/1995)  
  • Ar ou gás embolismo
  • Envenenamento por monóxido de carbono, cianeto e inalação de fumaça
  • Gangrena gasosa (miosite por Clostridium e mionecroses)
  • Lesões de esmagamento, síndromes comportamentais e outras causas de isquemias periféricas traumáticas
  • Doença descompressiva (doença do mergulhador)
  • Cicratização de feridas agudas e crônicas (úlceras em diabéticos, úlceras de estase e por insuficiência arterial crônica)
  • Anemia por perda de sangue excessiva
  • Abscessos intracranianos 
  • Infecções necrotizantes do tecido mole
  • Osteomielite refratária
  • Retalhos e enxertos comprometidos
  • Lesões tardias após radiação de tecido mole ou ossos
  • Queimaduras

 

Objetivos/Resultados  

  • Redução da necessidade de desbridamentos extensos
  • Capacidade de realizar precocemente os procedimentos de reconstrução (enxertos/retalhos) e com menor risco de perda
  • Recuperação mais rápida do paciente
  • Diminuição do tempo de internação
  • Redução do custo do tratamento (internação + UTI + medicamentos + necessidade de curativos)
  • Redução do uso de antibióticos
  • Otimizar resultado estético --> efeito psicológico positivo ao paciente
  • Retorno mais rápido às suas atividades normais