Cirurgia Plástica

CIRURGIA PLASTICA, RECONSTRUTIVA OU ESTÉTICA, CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO:

O uso da oxigenoterapia hiperbarica pode ser beneficio em diversas patologias. Por exemplo, na utilização em cirurgias de enxertos, que consiste na retirada de tecido de um local para “cobrir” uma lesão após queimadura, ou após a retirada de um tumor. 
Em um estudo realizado nos EUA em animais, fazendo o enxerto e colocando metade dos animais sob oxigenoterapia hiperbarica por 90 minutos após a cirurgia, por apenas 6 dias e a outra metade, não tendo o tratamento hiperbarico e depois medindo-se a área de necrose por computação gráfica, demonstrou-se uma melhora no enxerto de mais de 12%. 
Imagine-se então  quantos seriam os  pacientes beneficiados  com uma terapia mais longa e até, previamente ao enxerto, onde podemos melhorar a oxigenacao do leito que receberá o enxerto, conceito que já vemos em discussão em jornais médicos, o  que é chamado de “wound-bed preparaxion” , ou seja, a preparação do leito cicatricial. (referencia: The influence of intensive hyperbaric oxygen therapy on skin flap survival in a swine model. Arch Otolaryngol Head Neck Surg. 1992 Oct;118(10):1050-4.)

Já em um estudo mais recente, realizado em animais, na Turkia, demonstrou-se que a melhora dos enxertos não vascularizados e também de retalhos micro cirúrgicos, se deve à neovascularizacão provocada pela oxigenoterapia hiperbarica. 
Nesse estudo, ainda comprovou-se que a taxa de trombose, edema e infiltrado neutrofílicos, que são lesivos ao enxerto, são significativamente menores do que no grupo sem tratamento.
(Referencia: Histologic effects of hyperbaric oxygen therapy administered immediately after or two hours after ischemia-reperfusion injury: a rat abdominal skin flap model]Kulak Burun Bogaz Ihtis Derg. 2003 Jan;10(1):18-24)

Na questão de cicatrizes, poderíamos incluir, cicatrizes cirúrgicas que não fecham, como queimaduras e cicatrizes após colocação de próteses ósseas, silicone, etc, excluindo-se pacientes diabéticos que compreendem um grupo especial, já que possuem uma cicatrização comprometida, demonstrou-se em recente estudo americano, publicado há 2 meses atrás, que em cicatrizes onde espera-se que durante uma cicatrização normal haja uma redução de 10 a 15% da cicatriz  por semana, caso isso não ocorra, uma intervenção terapêutica importante seria a utilização da oxigenoterapia hiperbárica.

Referencia: 
1- 
Plast Reconstr Surg. 2006 Jun;117(7 Suppl):72S-109S. Clinical approach to wounds: debridement and wound bed preparation including the use of dressings and wound-healing adjuvants.  Attinger CE Janis JE Steinberg J Schwartz J Al-Attar A, Couch K. Georgetown Limb Center, Georgetown University Medical Center, Washington, DC 20007, USA.cattinger@aol.com)

 
 

voltar     imprimir